Telemedicina ao seu alcance

A APM Estadual firmou parceria com a maior empresa de Telemedicina do mundo – Teladoc, com o intuito principal de propiciar segurança e solidez ao nosso associado que queira praticar a Telemedicina durante este período de pandemia da Covid-19. A APM em breve enviará um e-mail com o link através do qual o associado poderá fazer a
inscrição na plataforma e iniciar o processo de aquisição do certificado digital da Valid, necessário para a emissão dos documentos médicos como prescrição de medicamentos, pedidos de exames, atestados, relatórios médicos, entre outros.
Para o paciente acessar o seu médico, será necessário que ele baixe o aplicativo da Teladoc nas lojas Apple Store ou Google Play no seu celular. Quando o paciente precisar de uma consulta remota, bastará que entre em contato com o consultório do médico, solicite a consulta no dia e horário desejados, procure o médico no aplicativo da Teladoc
em seu celular e clique no dia e hora da consulta agendada junto ao consultório do médico. No dia e horário marcados, o médico acessará a plataforma em seu computador através do site https://tdocop.com.br/login e o paciente fará o mesmo, mas através do aplicativo do seu celular.
Além disso, a APM fez parceria com o link PinPag (https://apm.pinpag.com.br/#/), por meio do qual é possível fazer a cobrança da consulta, bem como dos outros serviços médicos, sendo que o paciente poderá parcelar em até 12 vezes, sem qualquer custo para o médico, que recebe o valor integral em 15 minutos. Isso mesmo, sem desconto e na hora. Nosso associado não paga nem pela plataforma, nem pelo certificado digital, nem pela parceria com o PinPag.
O médico terá acesso também a um prontuário eletrônico pela plataforma Teladoc, onde será registrado todo o atendimento médico, sem custo também. Prescrições, atestados, pedidos de exames podem ser feitos eletronicamente e enviados diretamente para o paciente. Importante frisar que quando paciente “entra” para ser atendido pelo colega médico, assina um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Ao término da consulta, o
paciente recebe um resumo do atendimento em seu celular.
É exigido que o médico faça um curso de capacitação em Telemedicina ao custo de 90 (noventa) reais para o associado, uma vez que a APM entende ser muito importante o médico estar preparado para o atendimento em Telemedicina. Esse é o único custo que o associado tem, se quiser começar a usar essa “nova” modalidade de atendimento.
Todos esses passos são importantes, uma vez que a APM exige e preconiza que se faça o uso da Telemedicina da melhor e mais segura forma possível.
A princípio parece que são muitas coisas e que o processo é difícil. Não é, como toda novidade precisamos dar o primeiro passo, e nos acostumarmos e entendermos o modus operandi do processo. Após isso, tudo fica mais fácil e “a vida” do colega e do paciente se “encurtam” dentro desse “encontro”. Fundamental dizer que o uso da Telemedicina é uma escolha de mão dupla. Médico e paciente decidem usá-la, mas não são obrigados a fazê-lo. Se em algum momento do processo, qualquer parte envolvida preferir, ou se tornar necessário, o atendimento pode e deve se tornar presencial. A ideia é ter mais uma possibilidade de atendimento, quando for possível, viável e com a anuência das partes envolvidas.
Vamos em frente

Escrito por: DAVID ALVES DE SOUZA LIMA – PSIQUIATRA CRM: 112350

Não abandone os cuidados com a sua saúde

A Pandemia do COVID além de ter causado mais de 100.00 mortes pela própria doença no, tem contribuído para aumentar outras causas de mortalidade e de agravamento de doenças no Brasil. Milhões de brasileiros têm deixado de acompanhar e tratar outras doenças e isto tem preocupado as autoridades médicas.
Em primeiro lugar os serviços públicos e privados de saúde suspenderam grande parte dos atendimentos por precaução com a contaminação de seus usuários e para fazer uma reserva técnica para o enfrentamento da pandemia. Em outros casos o próprio atendimento à COVID ocupou toda a capacidade de atendimento dos serviços, não permitindo o atendimento normal à população. Em relação à medicina suplementar (Planos de Saúde) a ANS num primeiro momento suspendeu os prazos mínimos para o atendimento.
Por outro lado, os próprios pacientes suspenderam os comparecimentos aos serviços médicos por medo de se contaminarem. Os resultados começam a aparecer.
Em relação ao câncer, por exemplo, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica e a Sociedade Brasileira de Patologia estimam que ao menos 70 mil pessoas com câncer deixaram de receber o diagnóstico da doença entre março e o fim de maio. Ainda de acordo com estas sociedades 70% das cirurgias deixaram de ser realizadas e o número de biopsias realizadas chegou a cair 80%.


Em relação a doenças cardíacas (cardiovasculares) levantamentos feitos pela Sociedade Brasileira de Cardiologia mostram que houve um aumento nas mortes por doenças relacionadas ao coração e, principalmente, de pacientes que ficam em casa.
Em relação às mulheres, médicos ginecologistas da nossa região têm notado aumento em doenças inflamatórias do sistema reprodutor feminino. Pequenos incômodos que levavam as pacientes ao médico deixam de ser tratados e se transformam em doenças importantes. Outra constatação tem sido o aumento da gravidez não planejada por exatamente falta de orientação e acompanhamento.
Em todas as especialidades médicas temos constatado que perto de 80% dos pacientes deixaram de receber orientação médica e isto pode ter efeitos danosos à população.
Em alguns serviços temos notado que aumentaram os acidentes em casa, causando fraturas e outros danos.
Mas talvez a principal doença que tem causado grandes preocupações aos médicos tem sido as reações emocionais à pandemia, ao isolamento social e a perda de esperança para muitas pessoas. O desequilíbrio emocional pela pandemia é a porta de entrada e de agravamento de diversas doenças não só mentais como orgânicas.
Portanto, é importante que você não abandone os cuidados com a sua saúde.
Em São José dos Campos os serviços públicos de saúde continuam funcionando e tem adotado sérios protocolos de segurança para proteger os clientes. Em relação aos planos de saúde a ANS já recomendou que todos os serviços sejam prestados dentro do usual e caso você tenha problemas entre em contato com sua operadora e busque orientação e serviços dentro dos prazos.

Em relação aos serviços médicos prestados por médicos e clínicas há um grande esforço em proteger os clientes utilizando-se de todos itens de segurança e espaçando o horário das consultas.
Confie nos seus médicos.
A pandemia vai passar e você vai continuar.
Com saúde.

Escrito por: Dr. Sérgio dos Passos Ramos CRM: 17178 – GINECOLOGIA E OBSTETRICIA